Kallistos Ware: «O PODER DO NOME: A PRECE DE JESUS NA ESPIRITUALIDADE ORTODOXA»
1. Prece e silêncio“Quando você orar, disse com sabedoria um escritor ortodoxo da Finlândia, seu ‘eu’ deve se calar. Cale-se, e deixe a prece falar ”. Realizar o silêncio: isto é tudo, e é o mais duro e mais decisivo na arte da prece. O silêncio não é puramente negativo – uma pausa entre palavras, uma parada temporária do discurso...
DO QUE A ORTODOXIA É DEVEDORA AO PATRIARCADO ECUMÊNICO?
Arquimandrita DositeoDeve-lhe a preservação do dogma ortodoxo. A preocupação da Igreja-Mãe foi e segue sendo preservar a palavra da Verdade. Isso foi possível por meio de muitos Concílios Ecumênicos e locais, que se reuniram ao longo dos séculos.Deve-lhe a Divina Liturgia de São João Crisóstomo que sendo apostólica em suas bases, chegou a Constantinopla através de Antioquia e dali se...
A Divina Liturgia segundo São Germano de Paris é a do antigo rito da Gália. Este rito, suprimido no século IX pela ousadia das tendências unificadoras romanas, foi minuciosamente estudado em nosso século e, depois de um criterioso trabalho de restauração, foi celebrado pela primeira vez em 1º de maio de 1945, na capela Santo Irineu da Ilha de São...
A Liturgia Pontifical, durante a visita pastoral do bispo à comunidade, é um acontecimento eclesial solene e, por isso, a comunidade a espera com grande expectativa e deseja que aconteça com frequência. De fato, muita gente participa deste tipo de solenidade que reúne visitantes das localidades mais distantes e os sacerdotes da região. Quanto aos sacerdotes mais próximos, a determinação...
O «Rito de Jerusalém» é a liturgia mais antiga da cristandade. Tornou-se célebre por ter sido o esboço e o início do desenvolvi-mento dos vários ritos litúrgicos, particularmente no Oriente. Originalmente, foi a liturgia local de Jerusalém e não outra se-não a liturgia celebrada por São Tiago, primeiro bispo de Jerusalém e o “irmão do Senhor”. Evidências históricas de suas...
Jerusalém é o ambiente vital onde a liturgia cristã nasce, se desenvolve e de onde irradia o esplendor de sua forma sobre todas as igrejas do Oriente e do Ocidente. Assim como o Concílio Constantinopolitano, no ano 381, reconheceu Jerusalém como a «mãe de todas as igrejas», podemos considerar a liturgia de Jerusalém como a mãe de todas as liturgias...
Última edição do manual para uso dos fiéis na Igreja Ortodoxa Grega São Nicolau, de Florianópolis, incluindo: Uma Breve Introdução à Divina Liturgia de São João, o Crisóstomo; A Proskomídia; A Divina Liturgia de São João Crisóstomo; Artoclasia — Ofício dos Pães; Mnimósynon — Ofício Memorial; Tropários para as Grandes Festas; Isodikón para as Grandes Festas; Antífonas para as Principais...
Significado e prática no mundo de hoje Dado o caráter penitencial da Grande Quaresma, não são realizadas Divinas Liturgias nos dias de semana (ocorrendo sempre nos sábados e domingos). Contudo, tal era a necessidade do povo cristão, em seus momentos de maior saúde, de manter a comunhão eucarística de forma frequente, que a santa Igreja, em sua bondade maternal, permitiu...
Ofícios Litúrgicos - Rito Bizantino, contendo: Hino Akathistos à Santa Mãe de Deus; Hino Akathistos ao Nome de Jesus; Hino Akathistos aos Sofrimentos do Senhor; Paraklesis à Santa Mãe de Deus; Paraklesis ao Arcanjo Miguel; Paraklesis ao «Cristo Emmanuel» (Deus-Conosco); O Lucernário; Ofício Ecumênico (ortodoxo-católico). [pdf-embedder url="https://www.ecclesia.org.br/sophia/wp-content/uploads/2020/08/2015-02-oficios-liturgicos2.pdf"]
1. Edição de fevereiro de 2008 contendo: o Livro do Ofício Divino das Horas do rito Bizantino, Ofício de Vésperas; Ofício de Matinas; Ofício da Hora Prima; Ofício da Hora Tercia; Ofício da Hora Sexta; Ofício da Hora Nona; Completas e Menores. [pdf-embedder url="https://www.ecclesia.org.br/sophia/wp-content/uploads/2020/08/horologhion-ed3-fev2008.pdf"] 2. Edição de fevereiro de 2015. [pdf-embedder url="https://www.ecclesia.org.br/sophia/wp-content/uploads/2020/08/horologion-ed2-2015.pdf"]
Edição de fevereiro de 2015, contendo: Os «Oito Tons (ou Modos)»; Santoral Bizantino - Calendário Bizantino (Suplemento extraído do livro «O Ano Litúrgico Bizantino» de Madre Maria Donadeo); Léxico de alguns termos litúrgicos e principais livros litúrgicos bizantinos; Uma seleção de Tropários para diversas ocasiões: [pdf-embedder url="https://www.ecclesia.org.br/sophia/wp-content/uploads/2020/08/2015-02-pequeno-menologion.pdf"]
Contendo o "Próprio das Principais Festas" do Calendário Litúrgico do Rito Bizantino: as Festas Fixas e as Festas Móveis - compreendendo o Tempo da Grande Quaresma ou «Triódion» e o «Pentekostarion»... [pdf-embedder url="https://www.ecclesia.org.br/sophia/wp-content/uploads/2020/08/2015-02-liturgikon.pdf"]
Edição de fevereiro de 2015, contendo: Batismo; Penitência; Unção dos Enfermos; Matrimônio; Bênçãos para Diversas Ocasiões: Para a Mãe que deu à luz; No Oitavo Dia de Nascimento; Apresentação; Santificação de água para bênção de uma casa; Bênção de uma casa nova; Bênção de alimentos no dia da Páscoa; Bênção de ícones; Bênção de Veículos; Bênção de qualquer objeto; Visita...
O Livro das Liturgias de São João Crisóstomo, São Basílio, o Grande e São Gregório, o Diálogo, edição de fevereiro/2015, contendo: Orações Pós-Comunhão; Os «Oito Tons» da Liturgia Bizantina; Antífonas para os dias da semana; Antífonas para as principais Festas do Senhor; Isodikón - Cantos para a Entrada; Kinonikóns - Cantos para a Comunhão; Despedidas especiais para as Grandes Festas...
Contendo: Ofício de Recepção dos Catecúmenos; O Santo Batismo; Bênção para a Mãe que deu à luz; Bênção no Oitavo Dia de Nascimento; Ofício da Apresentação no Templo de uma Criança; O Ofício Litúrgico do Noivado; O Ofício da Coroação (ou Casamento); Ofício Litúrgico para a restauração do Casamento; Ofício Litúrgico para o Segundo Casamento; Ofício Litúrgico da Penitência; Ofício...
Edição 2016, em português-grego, contendo: A Divina Liturgia De Nosso Santo Padre João Crisóstomo; A Artoclassia; Serviço Memorial; Tropários da Ressurreição; Tropários para as Grandes Festas; Ofício de Matinas Para os Domingos e as Grandes Festas... [pdf-embedder url="https://www.ecclesia.org.br/sophia/wp-content/uploads/2020/08/09112016-pequeno-ieratikon-livro-do-altar.pdf"]  
Introdução à Liturgia Bizantina de Monsenhor Pedro Arbex O Rito Bizantino tira o seu nome de Bizâncio, cidadezinha situada sobre o Bósforo, aos confins da Europa e da Ásia (na Antiga Ásia Menor, a atual Turquia). Constantino Magno transformou-a em cidade grande e lhe deu seu nome: Constantinopla, cidade de Constantino. Inaugurada em 330, passou a ser a Capital do...
A História e o esplendor de  «AGHIA SOPHIA»
Antiga capital do Império do mesmo nome constituído pela parte oriental do Império Romano, Bizâncio foi, em 330, rebatizada pelo imperador Constantino, transformando-se, sob o nome de Constantinopla (Constantinópolis), no centro da Igreja Oriental greco-ortodoxa. O esplendor da cidade enriquecida pela sua posição geográfica no ponto de cruzamento das importantes vias comerciais, manifestou-se principalmente no século VI, durante o reinado...