Igreja Ortodoxa Grega São Nicolau de Florianópolis

A Igreja grega ortodoxa de Florianópolis tem o nome de São Nicolau e está situada na rua Tenente Silveira. Sua arquitetura assemelha-se às demais igrejas gregas ortodoxas, com aspectos bizantinos. No interior, destacam-se 3 partes distintas: O ierô, o salão (nave) com os bancos para os fiéis e o hall de entrada (portal). A fachada do ierô (soléa), separando a porta do meio (Porta Santa), há os ícones de Nossa Senhora e de Jesus Cristo. Ao lado delas o ícone de São Nicolau e de São João Batista. Nas duas portas laterais (Portas Norte e Sul), há os ícones dos (Arc)anjos Gabriel e Miguel.

O primeiro padre da Igreja Ortodoxa de Florianópolis foi o Monsenhor João Chryssakis nascido em 1898, que ficou como pároco por mais de 30 anos. Lecionou grego durante 25 anos, no Instituto Estadual de Educação. Naturalizou-se brasileiro, em 1955. Em 1964 deixou a ortodoxia e passou para a Igreja Católica, indo celebrar missas na Igreja do Rosário até falecer, em 30/01/1971.

Em 1976 o Padre Panayotis Paleolagos sucedeu Monsenhor Chryssakis e assumiu a direção da Igreja Ortodoxa. Foi um excelente professor da língua grega. Ficou doente e retornou a São Paulo, em 1957. Sofria de depressão, segundo consta, por desentendimento familiar. Ficou a lembrança de um homem extremamente culto e humanista.

O padre George Papaiano sucedeu-o, em 1958; Joseph Yasif, de 1959 a 1961; Miguel Michalopulos, de 1962 a 1965; Padre Panayotis Meintanis, de 1965 a 1971; Padre Konstantinos Paraskevaídes, de 1971 a 1989, quando faleceu num acidente automobilístico.

Durante um longo período de tempo a igreja de Florianópolis ficou sem padre. Só em 1992 chegou o padre José Roberto Oliveira, que veio de São Paulo para celebrar missa na Semana Santa. Depois veio o Padre Basílio, também de São Paulo, para rezar missas apenas no terceiro domingo de cada mês e tentar, assim, reativar as atividades religiosas na Colônia Grega de Florianópolis.

Em 1963 a Igreja foi consagrada pelo Bispo Thimóteos, que veio de Buenos Aires especialmente para essa celebração, em 1 º de setembro. Tornou-se, assim, a primeira Igreja Ortodoxa (Grega) no Brasil, devidamente consagrada.

O Padre Ângelos Kontaxis veio do Rio de Janeiro para substituir o Padre Basílio Lima e residir definitivamente em Florianópolis.

Foi elevado para Monsenhor (Arquimandrita) aqui em Florianópolis (…)

(Era) auxiliado, no seu sacerdócio pelo Diácono Pedro Paulo.

A Igreja Ortodoxa de São Nicolau orgulha-se de guardar preciosas relíquias de Santa Catarina de Alexandria. O Mosteiro Ortodoxo de Alexandria, no Egito, homenageando o Estado que tem o nome da própria Santa, entregou, em mãos do Monsenhor Ângelos Kontaxis, pedaços dos ossos do corpo de Santa Catarina, a Grande Mártir.

A Igreja São Nicolau é a única Igreja Ortodoxa no Brasil (e quem sabe, na América do Sul) a possuir e guardar tão precioso e santo relicário.

O Governador Esperidião Amin, do Estado de Santa Catarina, em 2002, emocionado e agradecido, foi pessoalmente ao Egito e ao Mosteiro, agradecer e expressar a gratidão do povo catarinense por tão carinhoso voto de confiança.

Registros de nosso estimado e saudoso Dr. Paschoal Apóstolo Pítsica, em sua primorosa obra «MEMÓRIA VISUAL DA COLÔNIA GREGA DE FLORIANÓPOLIS», pp. 171-172. Florianópolis, 2003.

Igreja-São-Nicolau-de-Florianópolis