Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Biblioteca Ecclesia
 
 
   

Um Monge da Igreja do Oriente

AMOR SEM LIMITES

Tradução para o português:
Pe. André Sperandio

38. Fala o Amor

Da sarça ardente, fala o Amor: "Queridos, quisera revelar-vos minha essência, minha presença, e inflamar-vos uma visão viva de mim mesmo".

Sou amor sem limites. Não conheço nenhum limite no tempo. Não conheço nenhum limite no espaço. Não há lugar onde eu não esteja. Não há momento no qual não expresse o que sou, que eu sou. Não há tempo em que não expresse o que sou, que eu sou. Sou a origem e a razão profunda. Sou o impulso (às vezes, tão rejeitado, desviado) do que vós sois. Eu sou a vossa verdadeira vida.

O mundo não me contém. Mas sem que me confunda com o mundo, o mundo está contido em mim. Eu não me confundo convosco e, no entanto, desde que o vosso ser tendes de mim, e também toda a graça, eu estou em vós: eu sou vós mesmos.

Muitos são meus e, no entanto, não estão cientes desse grande arrebatamento de amor que vem de mim e arrasta para o universo. Seus olhos têm mais que uma visão restrita e exígua. Não sentem que a terra treme e que o mundo inteiro vibra pelo sopro do Espírito.

Queridos: ajustai vossos sentimentos ao sopro, aos toques divinos. Sede as cordas vibrantes que transmitem meu amor sem limites. Sintonizai-vos com toda voz humana. Esforçai-vos por recorrer a toda gama de sons que cada voz pode emitir até que vossas vozes façam soar o mesmo canto, puro e justo.

Quero dizer-vos algo que, a primeira vista, pode assombrar e escandalizar. Sede o que eu sou. Direis que a criatura não pode ser o que é o seu Criador.

É verdade. A natureza divina e a natureza humana não podem ser identificadas nem confundidas.

Porém, existe o dom, a comunicação. Quisera comunicar o que há em mim. Quisera entrar em comunhão interior e em comunidade visível convosco. Quisera fazer-vos partícipes de meu ardor e de minha incandescência: em uma palavra, de meu amor.

Sede o que eu sou. Sede amor. Não vos é possível alcançar a plenitude do amor. Mas é possível, a cada um de vós, e sempre, orientar-vos para ele, tender para ele, dar alguns passos pela via sagrada.

Haverá muitos obstáculos muitas quedas, muitos acidentes. Porém, toda vontade de dar-se ao amor, todo verdadeiro movimento de amor tem um valor infinito.

As quedas podem acumular-se, mas é preciso voltar a amar novamente.

Olhai para os picos mais altos do amor. Ireis vê-los tanto melhor quanto mais profundamente estiverdes submergidos em um abismo de humildade, prostrando-vos ante o Amor com a confiança de uma criança, pedindo perdão por tudo, esperando tudo, amando tudo. Quanto mais prostrados estiverdes, mais doces e puros sereis, e mais iluminará vosso horizonte a chama do amor sem limites, fazendo com que todas as coisas possam ser vistas em seu lugar, em sua verdade, como eu as vejo.

Os que eu quero, muito estão situados em planos diversos, em distintos estratos. Porém, eu sou o Amado de todos. Eu me encontro em todos os planos, em todos os estratos. Eu sou para todos. Eu sou o Pastor que não deixa desviar nenhuma de suas ovelhas, mas que vai ao encontro dela. Estou convosco desde o princípio. Vossa vida é a minha vida.

Falai com a minha voz. Falai com a voz do amor e pronunciai as palavras do amor. Porei minhas palavras em vossas bocas. Mesmo nas horas em que não me ouvis, também quando não me escutais, não deixo de sussurrar em vossos ouvidos.

Eu vim trazer à terra o fogo do amor sem limites.

Voltar à página anterior Topo da página
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas