O amor não admite não ver aquilo que ama. Não consideraram todos os santos ser pouca coisa aquilo que obtinham quando não viam a Deus? […] Por isso Moisés ousa dizer: «Se alcancei graça aos Teus olhos, revela-Me o Teu rosto» (Ex 33, 13). E diz o salmista: «Revela-nos o Teu rosto» (Sl 79,4). Não era por isso que os pagãos construíam ídolos? No seio do próprio erro, eles viam com os olhos o que adoravam.

Deus sabia, pois, que os mortais se atormentavam no desejo de O ver. O que Ele escolheu para Se revelar era grande na terra e não era o mais pequeno nos céus. Porque o que, na terra, Deus fez semelhante a Si não podia ficar sem honra nos céus: «Façamos o ser humano à Nossa imagem e semelhança», diz (Gn 1, 26). […] Que ninguém pense, pois, que Deus fez mal em vir aos homens por meio de um homem. Ele fez-Se carne entre nós para ser visto por nós.

São Pedro Crisólogo (c. 406-450), bispo de Ravena,
Sermão 147
Fonte: Evangelho Cotidiano

 

Tags: , , ,

 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager