De palavras de verdade me cumulou o Senhor,
para que pudesse anunciá-la.
Da minha boca a verdade
flui como um rio.
Os meus lábios mostram os seus frutos:
o Senhor fez-me transbordar de conhecimento.
Porque a boca do Senhor
pronuncia o Verbo verdadeiro,
ela é a porta da sua luz.
O Altíssimo enviou ao mundo a sua Palavra
e os que cantam a sua beleza,
os arautos da sua majestade
e os mensageiros dos seus desígnios,
os evangelistas da sua mente
e os apóstolos das suas obras.
A subtileza do Verbo
impede qualquer descrição. […]
O seu curso não tem fim,
mantém-Se sempre de pé e nunca cai por terra;
ninguém Lhe conhece a descida nem o caminho. […]
Ele é a luz e a aurora do pensamento,
e n’Ele começa o mundo a exprimir-se.
Todos os que se calavam encontraram n’Ele a Palavra
porque d’Ele provêm o amor e a razão de ser.
Inspirados pelo Verbo,
todos os seres criados podem dizer quem são.
Todos reconheceram o Criador
e n’Ele encontraram a sua harmonia,
porque lhes falou a boca do Altíssimo.
Assim, o Verbo permanece no homem,
a sua verdade é o amor.
Feliz daquele a quem Ele permite
perscrutar todos os mistérios
e conhecer o Senhor na sua verdade.

Aleluia!


Odes de Salomão (texto cristão hebraico do início do século II)
n.º 12
Fonte: Evangelho Cotidiano

 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager