Aqueles que são amigos de Deus e que O amam, que O possuem em si mesmos como tesouro inviolável de todo o bem, recebem as injúrias e as humilhações com uma alegria e uma felicidade inexprimíveis (Mt 5,10-12). O seu amor redobra, e é um amor sincero por aqueles que […] os fazem sofrer tudo aquilo, como se fossem seus benfeitores. […]

Aquele que não conheceu nenhuma queda, o Senhor Jesus, nosso Deus, foi atingido para que os pecadores que O imitam não só recebam o perdão, mas se tornem participantes na Sua divindade através da sua obediência. Quem não aceita as afrontas na humildade do seu coração, quem tem vergonha de imitar os sofrimentos do Mestre, também Cristo terá vergonha dele na presença dos anjos (Lc 9,26). […]

Foi esbofeteado, coberto de escarros, crucificado […]: estremecei, homens, tremei e suportai vós também as injúrias que Deus sofreu para nossa salvação. Deus é esbofeteado pelo último dos servos (Jo 18,22) para te dar um exemplo de vitória; e tu não aceitas o mesmo tratamento por parte de um dos teus semelhantes? Se tens vergonha de imitar Deus, como te regenerarás com Ele? Se, enquanto esperas, não fores paciente nos vexames, como serás glorificado com Ele no Reino dos céus?

São Simeão o Novo Teólogo (c. 949-1022),
Catequese 27; SC 113, p. 116-118
Fonte: Evangelho Cotidiano

 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager