Ó Cristo, meu Deus, Tu abaixastes-Te para me levares aos ombros, a mim, ovelha perdida (Lc 15,5), e colocaste-me em verdes prados (Sl 22,2). Refrescaste-me nas fontes da verdadeira doutrina (ibid) por intermédio dos Teus pastores, de quem Tu mesmo eras pastor antes de lhes confiares o Teu rebanho. […] E agora, Senhor, chamaste-me […] para estar ao serviço dos Teus discípulos, não sei por que desígnio da Tua Providência, pois só Tu o sabes.

Mas, Senhor, aligeira o pesado fardo dos meus pecados que Te ofenderam gravemente; purifica o meu espírito e o meu coração. Guia-me por caminhos retos (Sl 22,3), como uma lâmpada que me ilumina. Dá-me a coragem de propagar a Tua palavra; que a língua de fogo do Teu Espírito (At 2,3) me dê uma língua perfeitamente livre, e me torne sempre atento à Tua presença.

Sê o meu pastor, Senhor, e sê comigo o pastor das Tuas ovelhas, de modo que o meu coração não se desvie nem para a direita nem para a esquerda. Que o Teu Espírito me dirija pelo caminho reto, de modo a que as minhas ações se realizem até ao fim segundo a Tua vontade.

São João Damasceno (c. 675-749), monge, teólogo,
Exposição da fé ortodoxa, 1
Fonte: Evangelho Cotidiano

Compartilhe isso:
 

Tags: , , , , , ,

 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment