Considera que tens em ti a verdadeira virtude quando desprezas por completo tudo o que existe neste mundo, mantendo o teu coração, graças a uma consciência pura, sempre disposto a partir para o Senhor. Se queres ser conhecido por Deus, sê ignorado pelos homens tanto quanto te for possível. […]

Toma-te por uma formiga e por um verme em todos os sentidos, a fim de te tornares o homem criado por Deus; pois se não começares por fazer aquilo, isto não se seguirá. Quanto mais desceres, mais te elevarás. Pois é quando te consideras nada diante do Senhor (cf Sl 38,5-6, LXX), segundo o salmista, que te tornas grande, pois permaneceste oculto durante algum tempo; e é quando pensas nada ter e nada saber que te tornas rico em ações e conhecimentos louváveis no Senhor. […]

Tendo sido salvo gratuitamente, dá graças a Deus, teu Salvador. Mas, se desejas oferecer-Lhe algum dom, oferece-Lhe reconhecidamente, com a tua alma viúva, as duas moedinhas que são a humildade e o amor. E sei que Ele as recebe melhor no tesouro (cf Mc 12,41-43) da salvação que a multiplicidade de virtudes oferecidas por muitos. […]

Com efeito, se o tesouro dos impassíveis é feito da união de todas as virtudes, a pedra preciosa da humildade tem mais valor que todas elas. Pois não só dá a quem a possui o poder expiar os seus pecados, como o faz entrar com os eleitos no lugar das núpcias do Reino.


Teognosto – monge e presbítero
«Sobre a ação e a contemplação», nos. 1, 3, 10, 45, 62
Fonte: Evangelho Cotidiano

 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager