Tal como disse o nosso Senhor e Salvador: «O reino de Deus não vem de maneira visível, nem se dirá: “Está aqui ou ali”; porque o reino de Deus está no meio de vós». Com efeito, «está bem perto de nós, essa Palavra, está na nossa boca e no nosso coração» (Dt 30,14). Sendo assim, é evidente que aquele que reza para que venha o reino de Deus tem razão em pedir que esse reino de Deus germine, dê fruto e se realize dentro de si próprio. Em todos os santos em quem Deus reina e que obedecem às suas leis espirituais, ele habita como numa cidade bem organizada. O Pai está presente nele e Cristo reina com o Pai nessa alma perfeita, tal como Ele próprio disse: «Viremos a ele e faremos nele a nossa morada» (Jo 14,23).

Uma vez que estamos sempre a progredir, o reino de Deus que está em nós atingirá a sua perfeição quando a palavra do apóstolo Paulo se cumprir: Cristo, «depois de ter submetido» todos os seus inimigos, «deporá o seu poder real nas mãos de Deus Pai, para que Deus seja tudo em todos» (1Cor 15,28). É por isso que, rezando sem desanimar, com disposições divinizadas pelo Vebo, nós dizemos: «Pai nosso que estais nos Céus, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino» (Mt 6,9).


Orígenes (c. 185-253)
Tratado sobre a oração
Fonte: Evangelizo.org

 
 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager