Deus todo-poderoso, Benfeitor, Criador do Universo,
escuta os meus gemidos, pois corro perigo.
Liberta-me do medo e da angústia;
liberta-me com a tua força poderosa, Tu, que tudo podes. […]
Senhor Cristo, rasga as malhas desta rede que me envolve
com a espada da tua cruz vitoriosa, que é a arma da vida.
Por todos os lados esta rede me envolve,
me aprisiona e me tem cativo, para me fazer perecer;
conduz ao repouso os meus cambaleantes e oblíquos passos.
Cura a febre que me sufoca o coração.
Perante Ti sou culpado, liberta-me da inquietação,
que é fruto da invenção diabólica,
faz desaparecer a escuridão da minha alma angustiada […].
Renova-me na alma a imagem de luz da glória do teu nome, grande e poderoso.
Intensifica o brilho da tua graça na beleza do meu rosto
e na efígie dos olhos do meu espírito, a mim, que do barro nasci (Gn 2,7).
Corrige em mim, refaz, com maior fidelidade, a imagem que reflete a tua (Gn 1,26).
Com a tua pureza luminosa faz desaparecer as minhas trevas, a mim, que sou pecador.
Inunda a minha alma com a tua luz divina, viva, eterna, celeste,
para que em mim se torne maior a semelhança com o Deus Trinitário.
Só Tu, ó Cristo, és bendito com o Pai
para louvor do teu Espírito Santo
pelos séculos dos séculos. Amem.


São Gregório de Narek (c. 944-c. 1010) monge, poeta armênio
Livro de orações, n.° 40
Fonte: Evangelho Cotidiano

Compartilhe isso:
 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment