Os apóstolos são as pérolas preciosas que João afirma ter contemplado no Apocalipse, as pérolas que são as portas da Jerusalém celeste (Ap 21, 21). […] Com efeito, quando irradiam a luz divina por meio de sinais e de milagres, os apóstolos abrem o acesso da glória celeste de Jerusalém aos povos convertidos à fé cristã. E aqueles que graças a eles são salvos entram na vida, qual viajante que entra por uma porta. […] É também acerca deles que o profeta pergunta: «Quem são estes que voam como as nuvens?» (Is 60, 8), nuvens que se condensam em água quando regam a terra do nosso coração com a chuva dos seus ensinamentos, a fim de a tornarem fértil e portadora dos germens das boas obras.

Bartolomeu, cuja festa celebramos hoje, significa precisamente, em aramaico, «filho daquele que traz a água». Ele é o filho deste Deus que eleva o espírito dos seus pregadores à contemplação das verdades do alto, a fim de que eles possam difundir, com eficácia e abundância, a chuva da palavra de Deus nos nossos corações. Assim, eles bebem a água na fonte, para depois no-la darem a beber a nós.

São Pedro Damião (1007-1072), eremita e depois bispo, Doutor da Igreja
Sermão 42, 2º para São Bartolomeu: PL 144, 726, 728 C-D (a partir da trad. Orval)
Fonte: EAQ

 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager