Meu filho, aplica-te com toda a tua alma em adquirir o amor dos homens, no qual e pelo qual te elevarás ao amor de Deus que é o fim de todos os fins. Vãos são todos os trabalhos que não forem realizados na caridade. Todas as boas obras e todos os labores conduzem o homem até à porta do palácio real; mas é o amor que nos faz lá morar e repousar no seio de Cristo (Jo 13,25).

Meu filho, que o teu amor não seja repartido, dividido, interesseiro, mas espalhado em toda a parte, com vista a Deus, desinteressado. Cristo dar-te-á o conhecimento para entenderes o mistério desta palavra. Ama todos os homens como a ti mesmo; melhor ainda, ama o teu irmão mais do que a ti próprio; não busques apenas o que te convém a ti, mas o que é útil ao teu irmão. Despreza-te a ti próprio pelo amor do teu próximo, para que Cristo seja misericordioso e faça de ti um co-herdeiro do seu amor. Guarda-te de desprezares isto. É que Deus amou-nos primeiro e entregou o seu Filho à morte por nós. «Deus amou de tal forma o mundo, que entregou por ele o seu Filho único», diz o apóstolo João, testemunha da verdade (Jo 3,16). Aquele que caminha nesta senda de amor, graças ao seu labor, chegará prontamente à morada que é o objetivo dos seus esforços. Não penses, pois, meu filho, que o homem poderá adquirir o amor de Deus, que nos é dado pela sua graça, antes de amar os seus irmãos em humanidade.

Youssef Bousnaya (c. 869-979), monge síri
Vida e doutrina de Rabban Youssef Bousnaya,
por Jean Bar Kaldoum
Fonte: Evangelho Cotidiano

 

Tags: , , , , , ,

 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager