Descei, irmãos, e revesti-vos do Espírito Santo nas águas;
uni-vos aos seres espirituais que servem o nosso Deus.
Bendito Aquele que instituiu o batismo para o perdão dos filhos de Adão!
Esta água é o fogo secreto que ferra a marca em seu rebanho,
com os três nomes espirituais que espantam o Mal (cf Ap 3,12). […]
João atestou do nosso Salvador: «Ele batizar-vos-á no Espírito Santo e no fogo» (Mt 3,11).
Eis, irmãos, o fogo e o Espírito, no verdadeiro batismo.
Mais poder tem na verdade o batismo do que o Jordão, que é um riacho:
com suas vagas de água e de óleo santo, ele lava o pecado de todos os seres humanos.
Eliseu, mergulhando nele sete vezes, limpou Naaman da lepra (2Rs 5,10);
mas o batismo purifica-nos dos pecados que estão escondidos na alma.
Moisés batizou o povo no mar (1Cor 10,2),
sem poder, contudo, lavar-lhe o coração, manchado pelo pecado.
Mas eis que um padre, semelhante a Moisés, lava da alma as suas manchas,
e, com o óleo, marca os cordeiros novos para o Reino. […]
Pela água nascente do rochedo foi a sede do povo saciada (Ex 17,1s);
por Cristo e sua fonte, foi saciada a sede das nações. […]
Eis que do lado de Cristo corre uma fonte que dá vida (cf Jo 19,34);
bebendo dela, os povos sequiosos esquecem suas queixas.
Verte, Senhor, sobre a minha fraqueza, o teu orvalho;
pelo teu sangue, perdoa os meus pecados.
Que eu seja incluído no número dos teus santos,
e sentado à tua direita.


Santo Efrém, o Sírio (c. 306-373)
5.º hino para a Epifania
Fonte: Evangelho Cotidiano

Compartilhe isso:
 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment