É de Vós, Deus Pai Omnipotente, que depende dar o que pedimos, estar presente quando procuramos, abrir quando batemos à porta (Lc 11,9). Quando se trata de compreender as verdades que se referem a Vós, vemo-nos impedidos por um certo entorpecimento preguiçoso da nossa natureza e sentimo-nos limitados pela nossa inevitável ignorância e debilidade; esperamos, pois, que Vós façais progredir o nosso tímido esforço inicial, que consolideis o seu desenvolvimento crescente e o leveis à união com o espírito dos Profetas e dos Apóstolos, para que compreendamos o sentido exato das suas palavras e interpretemos o seu verdadeiro significado.

Falemos do que eles pregaram nos seus ensinamentos: que Vós sois o Deus eterno, Pai do Unigênito, Deus eterno; que só Vós sois sem nascimento; e que há um só Senhor Jesus Cristo, que de Vós procede por nascimento eterno; não afirmamos que Ele seja outro Deus diverso de Vós, mas proclamamos que foi gerado de Vós, que sois o único Deus; e confessamos que Ele é Deus verdadeiro, nascido de Vós, que sois verdadeiro Deus e Pai.
Abri-nos, pois, o significado autêntico das palavras, dai-nos a luz da inteligência, a perfeição da linguagem, a verdadeira fé. Fazei que sejamos capazes de exprimir aquilo em que cremos: que Vós sois o único Deus Pai e que há um só Senhor Jesus Cristo; que saibamos afirmar que Vós sois Deus com o Filho e proclamemos sem erro a sua divindade.


Santo Hilário de Poitiers (c. 315-367)
Tratado sobre a Trindade, I, 37-8; PL 10, 48-9 (trad. do Breviário, rev.)
Fonte: Evangelho Cotidiano

Compartilhe isso:
 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Arquivos