«Levai os fardos uns dos outros e assim cumprireis a lei de Cristo». O pecado é um fardo, como atesta o salmista quando afirma: «Os meus pecados levantaram-se contra mim como um fardo». O Salvador carregou esse fardo por nós, ensinando-nos assim, com o seu exemplo, o que devemos fazer também nós. Pois Ele próprio transporta o fardo dos nossos pecados e sofre por nós (Is 53,4), convidando aqueles que se sentem oprimidos pelo pesado fardo da lei e dos seus pecados a carregar a carga leve da virtude quando afirma: «O meu jugo é suave e a minha carga é leve».

Assim, pois, aquele que, sem desesperar da salvação do seu irmão, estende a mão a quem implora o seu apoio, chorando com quem chora, sendo fraco com os fracos e olhando os pecados dos outros como seus, esse cumpre, pela caridade, a lei de Cristo. E que lei é esta? «O mandamento que vos dou é que vos ameis uns aos outros» (Jo 13,34). Qual é a lei do Filho de Deus? «Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei». E como foi que o Filho de Deus nos amou? «Ninguém tem maior amor que aquele que dá a vida pelos seus amigos» (Jo 15,13).

Aquele que não tem clemência, que não se revestiu de entranhas de misericórdia e de lágrimas, por muito elevado que esteja em espiritualidade, não cumpriu a lei de Cristo.

Aquele que acorre em socorro do pobre esmagado pelo peso da indigência e arranja amigos com o dinheiro iníquo, esse partilha as necessidades do seu irmão. A esse, Jesus dirá após a ressurreição geral: «Vinde a Mim, benditos de meu Pai, tomar posse do reino que vos foi preparado desde o começo do mundo. Porque tive fome e destes-Me de comer, tive sede e destes-Me de beber» (Mt 25,34-35).


São Jerônimo (347-420)
Comentário à Epístola aos Gálatas, liv. 3, cap. 6
Fonte: Evangelizo 

Compartilhe isso:
 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Arquivos