Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Loading
Suplemento Litúrgico para os Domingos e Grandes Festas  Domingo, 14 de Julho de 2019:
 
 
 

«Domingo dos Santos Padres
do 4º Concílio Ecumênico»

(4º depois de Pentecostes - Modo 3)

Memória de Santo Áquila, apóstolo dos 70 (séc. I).

No domingo que cai entre 13 e 19 deste mês de Julho, o calendário litúrgico ortodoxo comemora os 630 Padres que se reuniram em Calcedônia, em 451, para condenar Eutyches, que ensinou que em Cristo, depois da Encarnação, havia apenas uma natureza, a divina; e Dióscoro, patriarca de Alexandria, que havia recebido Eutyches de volta à comunhão e deposto São Flaviano, Patriarca de Constantinopla, autor da excomunhão de Eutyches.

Na tradição eslava, neste mesmo domingo, comemora-se os Padres dos primeiros seis Concílios Ecumênicos Sete Concílios Ecumênicos, ou seja: Primeiro: dos 318 Padres que se reuniam em Niceia, em 325, para condenar Ários que negou que o Filho de Deus é consubstancial ao Pai; os Padres deste Concílio também ordenaram que toda a Igreja celebrasse a Páscoa de acordo com o mesmo cálculo/calendário, seguido até os dias atuais pela Igreja Ortodoxa. Segundo: dos 150 Padres que se reuniram em Constantinopla, em 381, para condenar Macedônio, Patriarca de Constantinopla, que negava a divindade do Espírito Santo. Terceiro: dos 200 Padres que se reuniram em Éfeso, em 431, para condenar Nestório, patriarca de Constantinopla, que considerava Jesus Cristo um mero homem e não Deus encarnado. Quarto: (ver acima). Quinto: em 553, dos 165 Padres que se reuniram em Constantinopla pela segunda vez para condenar Orígenes e Teodoro de Mopsuéstia, mestre de Nestório. Sexto: em 680, dos 170 Padres que se reuniramu em Constantinopla, pela terceira vez, para condenar a heresia Monotelita, que ensinou que há em Cristo uma só vontade, a divina. Sétimo: em 787, dos 350 Padres que se reuniram em Nicéia, pela segunda vez, para condenar a iconoclastia.

Matinas

Evangelho

(Lc 24: 1-12)

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São Lucas.

aquele tempo, no primeiro dia da semana, muito cedo ainda, elas foram ao sepulcro, levando os aromas que, tinham preparado. Encontraram a pedra do túmulo removida, mas, ao entrar, não encontraram o corpo do Senhor Jesus. E aconteceu que, estando perplexas com isso, dois homens se postaram diante delas, com veste fulgurante. Cheias de medo, inclinaram o rosto para o chão; eles, porém, disseram: "Por que procurais entre·os mortos aquele que vive? Ele não está aqui; ressuscitou. Lembrai-vos de como vos falou, quando ainda estava na Galileia: 'É preciso que o Filho do Homem seja entregue às mãos dos pecadores, seja crucificado e ressuscite ao terceiro dia'". E elas se lembraram de suas palavras. Ao voltarem do túmulo, anunciaram tudo isso aos onze, bem como a todos os outros. Eram Maria Madalena, Joana, e Maria, mãe de Tiago. As outras que estavam com elas disseram-no também aos apóstolos; essas palavras, porém, lhes pareceram desvario, e não lhes deram crédito. Pedro, contudo, levantou-se, e correu ao túmulo. Inclinando-se, porém, viu apenas os lençóis. E voltou para casamuito surpreso com o que acontecera.

Divina Liturgia

Apolitikion

Rejubilem-se os céus e alegre-se a terra,
pois o Senhor manifestou a força de seu braço;
com sua morte venceu a morte,
tornou-se o primogênito dos mortos;
libertou-nos das entranhas dos infernos
revelando ao mundo a grande misericórdia!

Kondakion da Festa (MODO 4º PL.)

Tu és bendito, ó Cristo, nosso Deus,
que estabeleceste nossos Padres como luminares sobre a terra,
e, através deles, conduziste-nos a todos à verdadeira fé. 
O compassivo, glória a ti!

Hino à Mãe de Deus

Ó Admirável e Protetora dos cristãos
e nossa Medianeira do Criador
não desprezes as súplicas de nenhum de nós pecadores,
mas apressa-te em auxiliar-nos como Mãe bondosa que és,
pois te invocamos com fé:roga por nós junto de Deus,
tu que defendes sempre aqueles que te veneram.

Prokimenon

Cantai salmos ao nosso Deus, cantai!
Cantai salmos ao nosso Rei, cantai!

Nações, aplaudi todas com as mãos,
aclamai a Deus com vozes alegres!

EPÍSTOLA

(Tt 3: 8-15)

Epístola do Apóstolo São Paulo a Tito.

sta é mensagem fiel. Desejo, pois, que insistas nestes pontos, de sorte que aqueles que creem em Deus sejam solícitos na prática das belas obras. Estas coisas são excelentes e proveitosas aos homens. Evita controvérsias insensatas, genealogias, dissensões e debates sobre a Lei, porque para nada adiantam, e são fúteis. Depois da primeira e da segunda admoestação, nada mais tens a fazer com um homem faccioso, pois é sabido que o homem assim se perverteu e se entregou ao pecado, condenando-se a si mesmo.

Aleluia

Junto de Ti, Senhor, me refugiei;
não seja eu confundido para sempre, por tua justiça, livra-me!

Sê para mim um Deus protetor
e uma casa de refúgio que me abrigue.

Evangelho

(Mt 5: 14-19)

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São Mateus.

aquele tempo, Jesus ensinava, dizendo: «Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte. Nem se acende uma lâmpada e se coloca debaixo do alqueire, mas na luminária, e assim ela brilha para todos os que estão na casa. Brilhe, do mesmo modo a vossa luz diante dos homens, para que, vendo as vossas boas obras, eles glorifiquem vosso Pai que está nos céus. Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas. Não vim revogá-los, mas dar-lhes pleno cumprimento, porque em verdade vos digo que, até que passem o céu e a terra, não será omitido nem um só i, uma só vírgula da Lei, sem que tudo seja realizado. Aquele, portanto, que violar um só desses menores mandamentos e ensinar aos homens a fazerem o mesmo, será chamado o menor no Reino dos Céus. Aquele, porém, que os praticar e os ensinar, esse será chamado grande no Reino dos Céus»

Kinonikon

Louvai o Senhor nos Céus,
louvai-O nas alturas.

Aleluia, aleluia, aleluia!

este domingo, a Igreja celebra os Santos 630 Padres que participaram do 4º Concílio Ecumênico que se reuniu em Calcedônia, em 451, para condenar o ensinamento de Eutiques que ensinava haver apenas uma natureza, a divina, em Cristo depois da Encarnação; e Dióscoro, Patriarca de Alexandria, que havia recebido irregularmente Eutiques de volta à comunhão da Igreja, tendo deposto Santo Flaviano, Patriarca de Constantinopla, por ter excomungado Eutiques.

A Igreja, que vive nos dias atuais enfrentando tantas adversidades, reporta-se constantemente às límpidas fontes das verdades promulgadas nos primeiros concílios, para permanecer fiel ao seu caráter de catolicidade e apostolicidade. Assim, mesmo que não seja compreendida pelo mundo, conservar-se-á pura sem correr riscos de se desviar da reta doutrina. Mesmo que o mundo lhe implore para que ela se adeqüe às exigências da modernidade, a intransigência será sua marca e salvação. A essência da verdade não é objeto de mudanças, pois assim sendo, deixa de ser essência. Logo não existe a verdade. Quando defendemos a verdade, naturalmente, queremos honrar a essência que dela foi gerada. Os Primeiros seis Concílios da Igreja revelaram ao mundo as verdades de nossa fé. Sobre estas verdades foram edificadas doutrinas, dogmas, conceitos, regras, orações, cânticos, Liturgias, Ofícios religiosos, etc. Por isso, a Igreja bebendo das águas puras e refrescantes da fonte de sua tradição continuará incólume, pois ela guarda um grande tesouro, mesmo que em vasos de argila.» (J. Danielou)

Fonte:

BENOIT, André. A Atualidade dos Pais da Igreja. Porto Alegre: Ed. Aste, 1966.

Os Santos Concílios Ecumênicos

CONCÍLIO

ANO

PRINCIPAIS DEFINIÇÕES  

1º - Nicéia

325

Divindade de Jesus Cristo. Condenação de Ários.  

2º - Constantinopla I

381

Divindade do Espírito Santo. Condenação de Macedônio.  

3º - Éfeso

431

Maternidade Divina de Maria. Condenação de Nestório. Em Cristo uma Hipóstase, a Divina.  

4º - Calcedônia

451

Dualidade da natureza em Jesus Cristo: condenação de Eutiques, que ensinava o monofisismo.  

5º - Constantinopla II

553

Condenou as obras escritas pelos seguidores do herege Nestório.  

6º - Constantinopla III

681

Dualidade de Vontades em Jesus Cristo, não contrariadas uma pela outra, mas a vontade humana sujeita à vontade Divina. Condenação do Monotelatismo.  

7º - Nicéia II

787

Condenação do Iconoclasmo. Definição da doutrina Ortodoxa das imagens (Ícones).  

Referências Bibliográficas:

BÍBLIA – Bíblia de Jerusalém (Nona Edição Revista e Ampliada). São Paulo: Paulus, 2013.

Voltar à página anterior Topo da página  
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Canto Bizantino • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas