Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Loading
Suplemento Litúrgico para os Domingos e Grandes Festas  Terça-feira, 1º de Outubro de 2019:
 
 
 

Festa da «Proteção (Pokrov)
da Mãe de Deus (Theotokos)»

LEITURAS BÍBLICAS - OFÍCIO DE VÉSPERAS:

  • Gn 28, 10-17 (1ª leitura)
  • Ez 43, 27-44, 4 (2ª leitura)
  • Pr 9, 1-11 (3ª leitura)

Matinas

Evangelho

[Lc 1: 39-49, 56]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São Mateus.

aqueles dias, Maria pôs-se a caminho para a região montanhosa, dirigindo-se apressadamente a uma cidade de Judá. Entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto de teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite? Pois quando tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria em meu ventre. Feliz aquela que creu, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido!" Maria, então, disse: "Minha alma engrandece o Senhor, e meu espírito exulta em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humilhação de sua serva. Sim! Doravante as gerações todas me chamarão de bem-aventurada, pois o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. Seu nome é santo. Maria permaneceu com ela mais ou menos três meses e voltou para casa.

Divina Liturgia

Tropário da Festa (1)

Hoje a Virgem está no meio da Igreja,
e com coros de Santos intercede a Deus por nós.
Anjos e Bispos a veneram,
Apóstolos e Profetas alegram-se juntos,
pois, ele intercede a Deus por nossa salvação!

Tropário da Festa (2)

Lembra-te de nós em tuas orações,
ó Virgem Senhora Mãe de Deus,
que não pereçamos pelos nossos pecados.
Proteja-nos de todo o mal e das desgraças,
porque em ti esperamos,
e, venerando a Festa da tua Proteção, te exaltamos!

Imposição dos preciosos Cinto e Tûnica da Mãe de Deus (Modo 4º pl.)

Colocação da Preciosa Túnica da Santíssima Mãe de Deus no Santuário do Palácio de Blachernes, Constantinopla, em 458; Colocação do Precioso Cinto da Santíssima Mãe de Deus em Calcoprateia (séc. VI ou em 941)

Mãe de Deus sempre Virgem,
deste a tua cidade, em vez de poderosa muralha,
a túnica e o cinto de teu corpo imaculado,
os quais, em razão do teu parto virginal, permaneceram intactos.
Pois, por ti, a natureza e o tempo são renovados.
Por isso suplicamos-te que concedas a paz ao Universo
e a grande misericórdia às nossas almas.

Proteção da Santa Mãe de Deus (Modo 4º pl.)

Salve, ó cheia de graça, Virgem Mãe de Deus,
defensora e protetora da humanidade!
Pois de ti encarnou o Salvador do mundo.
Só tu és mãe e virgem, sempre bendita e cheia de glória.
Roga a Cristo nosso Deus, que dê a paz ao mundo inteiro.

Prokimenon

Minha alma glorifica o Senhor
e meu Espírito exulta de alegria em Deus meu Salvador.

Porque voltou os olhos para a humildade de sua serva,
doravante, todas as gerações me chamarão Bem-aventurada.

Epístola

[Hb 9: 1-7]

Epístola aos Hebreus.

rmãos, Também a primeira aliança tinha, com efeito, ritual para o culto e santuário terrestre. Pois instalou-se uma tenda - a primeira tenda -, chamada Santo, onde se encontrava o candelabro, a mesa e os pães da proposição. Por detrás do segundo véu havia outra tenda chamada Santo dos Santos, com o altar de ouro para os perfumes, a arca da aliança toda recoberta de ouro e, nesta, o vaso de ouro com o maná, o bastão de Aarão que florescera e as tábuas da aliança; por cima da arca, os querubins da glória cobriam com sua sombra o propiciatório. Todavia, não é o momento de falar disso nos pormenores. Estando as coisas assim dispostas, os sacerdotes entram a qualquer momento na primeira tenda para realizar o serviço o Sumo Sacerdote, e somente uma vez por ano; e isso não acontece sem antes oferecer sangue por suas faltas e pelas do povo. O Espírito Santo quis mostrar, com isso, que o caminho do santuário não está aberto enquanto existir a primeira tenda. Há nisso um símbolo para o tempo de agora. Pois naquele regime apresentam-se oferendas e sacrifícios sem eficácia para aperfeiçoar a consciência de quem presta o culto. Tudo são ritos carnais referentes apenas aos alimentos, às bebidas, às abluções diversas e impostos somente até o tempo da correção.

Aleluia (Modo Plagal 4º)

Aleluia, aleluia, aleluia!

Levanta-te, Senhor, para vir ao teu repouso,
Tu e a Arca de tua Majestade.
Aleluia, aleluia, aleluia!

Jurou o Senhor uma verdade a Davi
e não deixará de cumpri-la: «Do fruto de tuas entranhas porei sobre o teu Trono».
Aleluia, aleluia, aleluia!

Evangelho

[Lc 10: 38-42; 11: 27-28]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o Evangelista São Lucas.

aquele tempo, estando Jesus em viagem, entrou num povoado, e uma mulher, chamada Marta, recebeu-o em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, ficou sentada aos pés do Senhor, escutando-lhe a palavra. Marta estava ocupada pelo muito serviço. Parando, por fim, disse: "Senhor, a ti não importa que minha irmã me deixe assim sozinha a fazer o serviço? Dize-lhe, pois, que me ajude". O Senhor, porém, respondeu: "Marta, Marta, tu te inquietas e te agitas por muitas coisas; no entanto, pouca coisa é necessária, até mesmo uma só! Maria, com efeito, escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada". Enquanto ele assim falava, certa mulher levantou a voz do meio da multidão e disse-lhe: "Felizes as entranhas que te trouxeram e os seios que te amamentaram!" Ele, porém, respondeu: "Felizes, antes, os que ouvem a Palavra de Deus e a observam".

A Festa da Proteção da Santíssima
Mãe de Deus (a Theotokos)

esde tempos imemoriais, a Igreja tem celebrado a Santíssima Mãe de Deus como padroeira e protetora do povo cristão que, por suas orações intercessoras, implora a misericórdia de Deus por nós, pecadores. O auxílio da Santíssima Mãe de Deus tem sido claramente manifesto várias vezes, tanto para indivíduos como para nações, na paz e na guerra, nos desertos monásticos e nas cidades densamente povoadas.

O evento que a Igreja comemora e celebra hoje confirma a proteção contínua do povo cristão.

No dia 1º. de outubro de 911, no reinado do Imperador Leão, o Sábio, houve uma vigília noturna na Igreja da Mãe de Deus de Blaquerné, em Constantinopla. A igreja estava lotada de gente. Santo André, o Louco por Cristo, estava de pé, no fundo da igreja, com seu discípulo Epifânio. Às quatro da manhã, a Santíssima Mãe de Deus apareceu acima das pessoas, segurando seu omofórion e estendendo-o como um manto protetor sobre os fiéis. Estava vestida em púrpura cravejada de ouro e irradiava-se com um inefável fulgor, rodeada pelos apóstolos, santos, mártires e virgens. Santo André disse ao Bem-aventurado Epifânio: "Vês, irmão, a Rainha e Senhora de tudo rogando por todo o mundo?" Epifânio respondeu: Sim, pai, e estou boquiaberto de espanto!" A Festa da Proteção da Mãe de Deus foi instituída para comemorar esse evento e para nos lembrar que podemos receber em oração a incessante proteção da Santíssima Mãe de Deus em quaisquer momentos de dificuldade.

Fonte: 

Blog «Ortodoxia» da Eparquia do Brasil, sob a Igreja Ortodoxa da Polônia

Hoje a Virgem está no meio da Igreja,
e com coros dos Santos invisivelmente ora a Deus por nós.
Anjos e Bispos a veneram,
os apóstolos e profetas alegram-se juntos,
pois, para nosso bem, ela suplica ao Deus Eterno!

Esta aparição milagrosa da Mãe de Deus ocorreu em meados do século décimo, em Constantinopla, na igreja de Blachernae, onde seu manto, véu, e parte de seu cinto foram preservados depois de serem transferidos da Palestina no século quinto.

No domingo, 1º de Outubro durante toda a noite de Vigília, quando a igreja estava cheia de pessoas em oração, o Servo de Cristo, Santo André (2 de outubro), na quarta hora, levantou os olhos para o céu e viu a nossa Santíssima Senhora Mãe de Deus, resplandecente de luz celestial, rodeada pela assembleia dos santos. São João o Batista e o Santo Apóstolo João, o Teólogo acompanhavam a Rainha dos Céus. De joelhos a Santíssima Virgem chorando orou pelos cristãos por um longo tempo. Então, aproximando-se do Trono do Bispo, ela continuou sua oração. Depois de concluir sua oração, ela tomou o véu e espalhou-o sobre o povo em oração na igreja, protegendo-os dos inimigos visíveis e invisíveis. A Santíssima Senhora Mãe de Deus resplandecia com a glória celestial, e o véu protetor em suas mãos brilhava "mais do que os raios do sol."  Santo André olhou com tremor a visão milagrosa e ele pediu ao seu discípulo, o abençoado Epifânio que estava de pé ao lado dele, "Você vê, meu irmão, a Santa Mãe de Deus, rezando por todo o mundo?" Epifânio respondeu: "Eu vejo, ó santo Pai, e eu estou em temor." A Santíssima Mãe de Deus suplicou ao Senhor Jesus Cristo para aceitar as orações de todos os povos que invoquem o seu nome Santíssimo, e a responder rapidamente à sua intercessão, "Ó Rei Celestial, aceita todos aqueles que rezam para Você e chamam pelo meu nome para ajudar. Não deixe-os deixe sem auxílio".

Santo André e Epifânio eram dignos de ver a Mãe de Deus em oração, e "por um longo tempo observaram a propagação do manto de proteção sobre o povo, e este manto se mantinha brilhante, com lampejos de glória". Enquanto a Santíssima Theotokos estava lá, o manto de proteção foi também visível, mas com a sua partida, também tornou-se invisível. Depois de o levar com ela, ela deixou para trás a graça de sua visitação."

Na igreja Blachernae, a memória da aparição milagrosa da Mãe de Deus foi lembrada. No século XIV, o peregrino russo Alexander, viu na igreja um ícone da Santíssima Theotokos orando para o mundo, representando Santo André, na sua contemplação (...) .

A festa celebra a destruição por obra divina da frota que ameaçava Constantinopla, em algum momento do ano 864-867 ou de acordo com o historiador russo Vasiliev, em 18 de junho, 860. (...)

Igrejas em honra da proteção da Mãe de Deus, começaram a surgir na Rússia, no século XII. Amplamente conhecido por seu mérito arquitetônico é o templo da Proteção da Mãe de Deus, que foi construído no ano de 1165 pelo santo Príncipe Andrei Bogoliubsky. Os esforços do príncipe santo também ajudaram a estabelecer na Igreja Russa a Festa da proteção da Mãe de Deus, por volta do ano 1164.

Em Novgorod, no século XII, havia um mosteiro da Proteção da Santíssima Deípara (chamado mosteiro Zverin), em Moscou, também sob o czar Ivan, o Terrível, a catedral da proteção da Mãe de Deus foi construída a igreja de Santíssima Trindade (conhecida como a igreja de São Basílio, o Bendito).

Na Festa da Proteção da Santíssima Deípara imploramos a defesa e assistência da Rainha do Céu:

Lembra-te de nós, em tuas orações,
ó Virgem Senhora Mãe de Deus,
que não pereçamos pelos nossos pecados.
Proteja-nos de todo o mal e das desgraças,
porque em ti esperamos,
e venerando a festa de tua Proteção, te exaltamos!

Fonte:

Blog da Missão Ortodoxa Russa Proteção da Mãe de Deus - Rio de janeiro - RJ

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BÍBLIA – Bíblia de Jerusalém (Nona Edição Revista e Ampliada). São Paulo: Paulus, 2013.

 

Voltar à página anterior Topo da página  
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Canto Bizantino • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas