«Ouvistes que foi dito: “Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo”». Com efeito, a Lei exigia o amor ao próximo, mas permitia odiar o inimigo. A fé, pelo contrário, prescreve o amor aos inimigos e, através do sentimento universal da caridade, destrói os movimentos de violência que há no espírito do homem, não apenas impedindo a cólera de se vingar, mas apaziguando-a até nos fazer amar aquele que não tem razão. Amar os que nos amam é próprio dos pagãos: toda a gente gosta de quem gosta de si. Mas Cristo chama-nos a viver como filhos de Deus e a imitar Aquele que, pelo advento do seu Cristo, concede, tanto aos bons, como aos culpados, o sol e a chuva nos sacramentos do batismo e do Espírito. Forma-nos assim para a vida perfeita através deste laço de bondade para com todos, chamando-nos a imitar o Pai do Céu, que é perfeito.


Santo Hilário de Poitiers (c. 315-367)
Comentário a Mateus, 4, 27
Fonte: Evangelizo.org

 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager