[Diz S. Paulo que] Cristo entregará o reino a seu Pai (1Cor 15,24), não no sentido em que renunciará ao seu poder entregando-Lhe o seu Reino, mas no sentido em que o Reino de Deus seremos nós, assim que tivermos sido conformados à glória de seu corpo […], constituídos Reino de Deus através da glorificação desse corpo. Assim, pois, Ele entregar-nos-á ao Pai enquanto Reino, como diz o Evangelho: «Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que vos está preparado desde a criação do mundo» (Mt 25,34).

E «os justos brilharão como o sol no reino do seu Pai» porque o Filho colocará nas mãos de Deus aqueles que, sendo o Reino, para ele convidara, aqueles a quem foram prometidas as bem-aventuranças próprias deste mistério com as palavras: «Felizes os puros de coração, porque verão a Deus» (Mt 5,8). […] Serão estes que, enviados a seu Pai como seu Reino, verão a Deus.

O próprio Senhor dissera aos Apóstolos em que consistia este Reino: «O Reino de Deus está no meio de vós» (Lc 17,21). E se alguém inquirir quem é Aquele que entregará o Reino, preste atenção: «Cristo ressuscitou dos mortos, como primícias dos que morreram. Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem vem a ressurreição dos mortos» (1Cor 15,20-21). Tudo isto diz respeito ao mistério do corpo, uma vez que Cristo é o primeiro Ressuscitado de entre os mortos. […] Por isso [é que] Deus será «tudo em todos» (1Cor 15,28), para o progresso da [nossa] humanidade assumida por Cristo.


Santo Hilário de Poitiers (c. 315-367),
Da Trindade, XI, 39-40
Fonte. Evangelho Cotidiano

 
 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager