Acolhamos o nosso Deus e Senhor, o verdadeiro médico, o único capaz de curar a nossa alma ao vir a nós, Ele que tanto penou por nós. Ele bate sem cessar à porta do nosso coração, para que Lha abramos e O deixemos entrar para Ele repousar na nossa alma, para que Lhe lavemos os pés e O cubramos com perfume, para que faça em nós a Sua morada. Com efeito, Jesus acusa aquele que não Lhe lavou os pés, dizendo: «Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa» (Ap 3,20). Efetivamente, foi para isso que Ele suportou tantos sofrimentos, que entregou o Seu corpo à morte e nos resgatou da servidão: para vir à nossa alma e fazer dela Sua morada.

É por isso que o Senhor diz àqueles que, no julgamento, estiverem à Sua esquerda e forem enviados para a geena: «Tive fome e não Me destes de comer, tive sede e não Me destes de beber» (Mt 25,42ss). Porque a Sua comida, a Sua bebida, as Suas roupas, o Seu teto, o Seu repouso estão no nosso coração. Por isso Ele bate sem cessar, querendo entrar em nós. Acolhamo-Lo, portanto, e recebamo-Lo dentro de nós, pois Ele é também o nosso alimento, a nossa bebida, a nossa vida eterna.

E toda a alma que não O acolhe agora dentro de si, para Ele aí encontrar repouso, ou antes, para que ela repouse n’Ele, não herdará o Reino dos Céus com os santos e não poderá entrar na cidade celeste. Mas Tu, Senhor Jesus Cristo, deixa-nos entrar, a nós que glorificamos o Teu nome, com o Pai e o Espírito Santo, por todos os séculos. Amem.

Homilia atribuída a São Macário (?-405),
Homilias espirituais, 30, 9
Fonte: Evangelho Cotidiano

 
 

Não há comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager